Homem que agrediu enfermeiras trabalhava no Ministério da Mulher de Bolsonaro

 

E a verdade veio à tona

Renan da Silva Sena, funcionário terceirizado do MDH (Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos), agrediu verbalmente enfermeiras que faziam uma manifestação na Praça dos Três Poderes, em Brasília, na última sexta-feira (1º).

 

Ligação do Bolsonarista com Bolsonaro

Sena é analista de projetos do setor socioeducativo. Ele foi contratado pela empresa G4F Soluções Corporativas Ltda, que tem um contrato com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (Damares) no valor de R$ 20 milhões de prestação serviços operacionais e apoio administrativo.

 

Quem é o Bolsonarista

Engenheiro eletricista de formação e missionário da Igreja Batista Vale do Amanhecer, Renan Sena presta serviço, desde fevereiro, à SNDCA (Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente), que coordena o Sinase (Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo), responsável pela execução de medidas destinadas a adolescentes em conflitos com a lei.

 

Fanatismo bolsonarista, um “Petismo 2.0”

Sempre haverá amantes do fanatismo, para todo aquele que se professa “salvador da pátria”. Foi assim com lula, está sendo assim com bolsonaro.

Só eles tem razão, e quem ousar discordar será vítima da violência, agressão verbal ou taxado de “comuna”, “traidor”, “infiltrado”, “isentão”, etc.

Cabe à polícia (enquanto não estiver tomada por “amigões dos filhos” de Bolsonaro) tomar as providências.