Federação Americana de Futebol: Mulheres ganham mais que os homens. Elas mentiram.

 

“Aihnn,,, Eu sou lésbica… Aihnn… Sou mulher…” Vtimismo que dá nojo…

 

Durante muito tempo algumas lésbicas feministas pertencentes ao time de futebol americano se vitimizaram, repetindo o “mantra” de que ganhavam menos que os homens. O velho ‘mimimi’ que conhecemos, onde quanto mais coitado e vítima, mais popular você fica (com os igualmente perdedores, ao menos).

Porém a farra acabou, o presidente do federação de futebol americana, Carlos Cordeiro, divulgou uma carta na segunda-feira afirmando a posição de sua organização de que a Seleção Feminina dos EUA não é mal paga, apesar da cacofonia e zurros por “pagamento igual” para as mulheres.

Ele afirmou:

“Na última década, a US Soccer pagou mais à nossa Seleção Feminina do que à nossa Seleção Masculina”.  “De 2010 a 2018, a US Soccer pagou a nossas mulheres US $ 34,1 milhões em salários e bônus de jogos, e pagamos US $ 26,4 milhões a nossos homens, sem contar o valor adicional significativo de vários benefícios que nossos jogadoras recebem, mas que nossos homens não recebem.”

“De 2009 a 2019 – um cronograma que inclui dois campeonatos da Copa do Mundo Feminina – a Seleção Feminina obteve uma receita bruta de 101,3 milhões de dólares em 238 jogos, com uma média de 425,446 dólares por jogo”, acrescentou o chefe de futebol. A equipe obteve uma receita bruta de US $ 185,7 milhões em 191 jogos, com uma média de US $ 972.147 por jogo. ”

 

Mas isso não é tudo que Cordeiro teve que reportar aos fãs de futebol. De acordo com a contabilidade da federação, a equipe feminina perdeu uma tonelada de dinheiro, mesmo com as jogadoras sendo mais bem pagas do que os homens.

Informou ainda Cordeiro:

“Mais especificamente, os jogos da WNT geraram algum lucro líquido (receitas de ingressos menos despesas com eventos) em apenas dois anos (2016 e 2017). Em todo o período de 11 anos, os jogos do WNT geraram uma perda líquida de US $ 27,5 milhões ” 

Cordeiro não achava que a enorme perda financeira do futebol feminino fosse necessariamente uma coisa ruim. “O futebol americano não vê isso como perdas, mas sim como um investimento importante em nossa Seleção Feminina e no crescimento de longo prazo do futebol feminino”, disse ele.

 

Ou seja, MAIS UMA MENTIRA DE ESQUERDISTAS FEMINISTAS LACRADORAS. Por qual motivo não me surpreendo nem um pouco?

 


 

IRAN PORÃ MOREIRA NECHO (15/11/1970), é católico apostólico romano, advogado formado na Universidade Mackenzie, com extensão em Samford-EUA, atuou como advogado interventor em Liquidações Extrajudiciais pelo Banco Central, foi membro do Tribunal de Ética do OAB/SP (acusação), foi membro do  Comissão de Defesa do Consumidor da OAB/SP, sócio no escritório de advocacia Moreira Necho e Santos Couto Advogados, presidente do IBRIM – Instituto Brasileiro Imobiliário e fundador do Movimento Direita Livre, em 2013.

 


 

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: